cannes lions

Talvez você esteja se perguntando o que Cannes Lions, um festival originalmente criado para celebrar a melhor publicidade do mundo, tem a ver com Marketing Digital? Ou ainda, o que pode nos ensinar? A resposta é: faz total sentido e ainda pode nos ensinar muito sobre as tendências emergentes.

Um excelente caminho para o aprendizado é observar os melhores ou líderes de mercado, afinal não estão nesta posição a toa. Sabe quando você olha uma campanha, um post e pensa “poxa, porque não pensei nisso antes, é tão simples!”. Já reparou, por exemplo, como um time de voleibol treina? Aprendendo como o campeão joga, observando o que o fez chegar ao topo.

Respondendo a primeira pergunta: o que Cannes Lions Festival tem a ver com marketing, cabe destacar que houve uma revitalização do maior festival de publicidade do mundo para, além disto, ser um espaço para discutir novas tecnologias, inovação, sustentabilidade e tendências de mercado, comunicação e marketing. Eu trocaria, e troquei, mais um curso de pós-graduação de 18 meses para estar lá uma semana.  

Só para ilustrar melhor, este ano ocorreu no festival o Health Markets Accelerator Programme, voltado para profissionais de marketing que trabalham no segmento de saúde. Quem conduziu foi Jim Stengel, head global de marketing da Procter & Gamble, são 7.000 funcionários sob sua liderança.

Agora, como aprender?

Uma primeira dica é ler tudo o que for possível sobre o festival, ver os cases campeões, short lists (finalistas), pois eles são os campeões do mundo. Com a democratização da informação há muito conteúdo disponível gratuitamente. Se for possível estar presente no festival, mesmo com esforço financeiro, como no meu caso, melhor ainda porque vale o investimento. Estar diante de líderes globais do nível do Stengel e bater um papo de 10 minutos é muito enriquecedor.

 

E quais são as grandes lições de Cannes?

  • Seja muito relevante e simples. Um dos grandes cases do festival veio do Afeganistão. Naquele país, além de todas as dificuldades enfrentadas e amplamente difundidas na mídia, havia um sério problema de controle na vacinação de crianças.Culturalmente, as mães não davam importância para a carteirinha de vacinação em papel, semelhante ao que existe no Brasil. Sem esta informação os médicos e profissionais de saúde não conseguem prestar o atendimento adequado. Estamos falando de algo muito sério que é a vida de inúmeras crianças. Como superar este desafio? Uma crença popular muito forte no Afeganistão consiste no uso de uma espécie de miçanga colorida no bracinho das crianças para espantar os maus espíritos.Bingo! A solução para o problema veio desta crença popular. Criaram uma miçanga colorida para controlar o esquema vacinal e abandonaram a cartilha de papel, ou seja, cada vez que a criança toma uma vacina é inserido uma cor respectiva a vacina em questão. Quando é um reforço, repete-se a cor.

 

  • Dialogue com a sociedade. Diálogo pressupõe troca, diferente de um monólogo, e para que isto ocorra é necessário o interesse das partes na conversa. Então, converse sobre aquilo que a sociedade quer falar, e aliás as pessoas no geral não gostam de propaganda, marketing etc. Houve um recorde de campanhas falando sobre diversidade de gênero, transexualidade, inclusão social, sustentabilidade entre outros temas que se resumem a uma palavra: respeito.

    A sociedade quer respeito ao meio ambiente, ao planeta e principalmente as pessoas. Neste sentido, grandes empresas apresentaram campanhas se posicionando contra a visão, digamos protecionista, de Trump. Já parou para pensar se você teria a coragem de assumir este risco para a empresa ou até seu emprego? Apenas um parêntese, atitude ao assumir riscos calculados é um diferencial para o bons profissionais de marketing na atualidade.Particularmente, gosto de pensar que no risco há uma oportunidade: a de dar certo.Voltando ao diálogo, não custa lembrar que comunicação sem ação é propaganda enganosa e péssimo para a empresa ou marca, pois vira um discurso vazio. Veja no final do textos dois livros ótimos e de leitura rápida sobre o assunto. Para terminar este trecho da nossa conversa, de onde você acha que veio o insight para a recente campanha da Coca-Cola “Essa Coca-Cola é Fanta e daí? Nestas alturas, espero que você esteja pesquisando quando será Cannes 2018, afinal já aprendeu de qual fonte beber  🙂

  • Saia do lugar comum: ideias comuns são mais rápidas, correm menos risco e tem mais chances de serem aprovadas pela diretoria, cliente etc. No outro lado, ideias realmente criativas correm mais riscos, é verdade que podem gerar uma frustração de ser reprovada, mas podem trazer resultados significativamente maiores.  Quando vi esta campanha, simples, foi inevitável “por que não fizemos antes…”

                        Legenda: World for all Animal Care and Adoptions – Mumbai, Índia.

 

  • Multidisciplinaridade foi a palavra de ordem em Cannes. Não confie um desafio a uma pessoa ou meio de comunicação. Traduzindo para nossa realidade, todos entenderam que um filme de 30 segundos na Globo não resolve mais com eficiência como antes. Pense coletivamente com uma equipe multidisciplinar, envolva o consumidor sempre por meio de pesquisas de mercado, e invista em vários meios de comunicação que criem sinergia.

 

Por fim, o mais importante e  não relacionado a Cannes porque não trata-se de uma tendência, mas uma verdade já cristalizada. Gere valor para o cliente.

Compreenda profundamente o que o cliente valoriza, estabeleça uma matriz de atributos na perspectiva do cliente atual ou prospect. Faça o mesmo para os concorrentes e crie projetos novos ou de melhorias, muitas vezes apenas incrementais, que garantam no longo prazo maior satisfação do cliente. Isto é sustentabilidade, não pensar somente na venda do mês.

Apesar do cenário econômico atual do país, em que lutar pela sobrevivência é muitas vezes um imperativo, faça o possível para criar ações que perpetuem a empresa.

Um erro comum que tenho visto são empresas utilizarem a tecnologia ou mídias sociais, por exemplo, porque tem que usar, afinal todos estão lá. Faça a empatia, o que este novo app da empresa irá facilitar a vida do cliente? Vai mesmo? Como? Ou só irá ocupar espaço no smartphone do cliente, hoje em dia tão concorrido quanto seu bolso. A tecnologia deve ser um meio e não fim.

Aqui está onde os bons profissionais de marketing fazem a diferença, é na criação de estratégias embasadas no entendimento do comportamento do consumidor, na visão de longo prazo do mercado associado a missão e visão da empresa, é correlacionar fatores internos com os fatores externos e garantir lucro para a empresa e melhores serviços ou produtos para os clientes, sem esquecer do respeito ao meio ambiente e pessoas.

Gostou deste texto? Ele foi escrito pelo Professor Edgar Almeida, profissional de marketing e comunicação com 14 anos de experiência e ganhador de prêmios como: Profissional do Ano Rede Globo 2012 região Sul, Top de Marketing ADVB-PR em 2012 e 2103. Possui dois Grand Prix e 5 primeiros lugares no prêmio GRPCOM (Grupo Paranaense de Comunicação).

Fique de olho para conferir mais textos de profissionais que são referência em marketing aqui no nosso blog.

Até a próxima!

Previous ArticleNext Article

This post has 1 Comment

1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.