Atrair, converter e fidelizar clientes: eis os principais objetivos do Marketing de Conteúdo. Estratégias que envolvem a criação de conteúdo relevante ganham cada vez mais espaço na luta por reputação e credibilidade na internet, a maior vitrine de produtos e serviços do mundo.

A internet se tornou o ponto de encontro entre empresas e clientes e, para que este relacionamento dê certo e seja duradouro, é preciso investir em estratégias que não só atraiam o cliente para o seu site, mas que também o façam retornar. Esta é a principal missão do Marketing de Conteúdo, que deve ser planejado de acordo com os objetivos da empresa e o público-alvo em questão.

Mas, na prática, como chegar lá? São muitas as opções de produtos de conteúdo, tanto para empresas B2B quanto B2C: desde posts no blog e ebooks a games, pesquisas de mercado, calculadoras e muito mais. Como saber qual o melhor para atingir os objetivos?

Produtos de conteúdo

Há uma matriz de decisão interessante que trazemos no infográfico abaixo, que leva em conta o objetivo da empresa (do reconhecimento do cliente à decisão de compra) e o perfil do público-alvo (mais emocional ou racional). Vamos conferir?

Matriz_Conteudo

Basicamente, a combinação dos dois eixos, o objetivo da empresa na horizontal e o perfil do cliente, na vertical, criam quatro quadrantes, que são:

1. Entreter

Para se relacionar de forma mais emocional com o público e com objetivo de reconhecimento, as opções de produtos de conteúdo seriam: vídeos, quizzes, competições e mesmo posts no blog e ebooks.

2. Inspirar

Na mesma linha mais emocional, porém com objetivo direcionado à conversão, são eficazes: depoimentos de celebridades, reviews de usuários, fóruns abertos à comunidade, ratings e certos eventos.

3. Educar

Para atrair um público mais racional ou que busca conteúdo sobre produtos e serviços corporativos, as opções mais interessantes são: pesquisas de tendências, infográficos como este acima, guias, posts no blog da empresa e ebooks também.

4. Convencer

Se o objetivo é conduzir o público com perfil mais analítico à tomada de decisão de compra, há vários produtos de conteúdo que podem ajudar: exemplos de sucesso e estudos de caso, listas de funcionalidades de produtos, demonstrações de uso, webinars, checklists e calculadoras.

Qual produto escolher?

Mais importante do que focar a atenção em um pool de produtos, é ter uma estratégia bem definida, que contemple uma mescla de formatos para cada etapa do ciclo de compra dos seus clientes. Escolher o máximo de opções (e executá-las com qualidade e foco no público-alvo) certamente traz mais resultados. Mas nem sempre o orçamento permite acessar alternativas mais caras, como fazer design de infográficos e desenvolver calculadoras e outras ferramentas dinâmicas, por exemplo. Nessas situações, o ideal é manter o blog corporativo sempre atualizado (para garantir a presença da empresa nas ferramentas de busca) e criar ebooks ou webinars focados em tirar dúvidas pontuais do público, para serem acessados mediante cadastro (permitindo a criação de um mailing de interessados). Depois, com o tempo e o aumento das conversões, você poderá ir inserindo novas opções de formatos para que seu público acesse e consuma ainda mais conteúdo da empresa.

Quais formatos de conteúdo sua empresa já oferece aos clientes ou gostaria de oferecer?Quer organizar essa decisão e sua estratégia de conteúdo? Conheça em nosso Kit ferramentas que podem te ajudar:

kit-basico

Este conteúdo foi produzido por um redator profissional da base da Tex.do.

Previous ArticleNext Article

This post has 10 Comments

10
  1. Oi, Leonardo! Interessante sua interpretação. Eu li de uma maneira diferente, com todos esses produtos igualmente no quadrante “educar”. Mas pesquisas e guias estariam dispostos mais abaixo, de acordo com o eixo vertical e seriam mais apropriados numa abordagem mais racional (já que é um conteúdo mais conclusivo e menos interpretativo). O que você acha?

  2. Olá Emilia, boa tarde! Frequentemente, quando em conversas com as pessoas a respeito de Marketing de Conteúdo, percebo que existe quanto a este assunto um senso comum com a seguinte afirmação: “Marketing de conteúdo serve apenas para branding de empresas, pelo que não deve ser utilizado esperando resultados comerciais imediatos, isto é, não é uma forma direta de se alcançar vendas.” Qual sua opinião diante disso?

  3. Muito bom seus posts, são objetivos e claros. Nossa empresa trabalha com produtos de nutrição, varejo. Já pensamos em cartilhas de boas práticas focando em soluções de algumas enfermidades e melhoria de vida focando a qualidade alimentar. Esclarecer e orientar e expor as opções de produtos com suas respectivas características e aplicações. Seria isso mesmo?

    1. Oi, Rafael.
      Obrigada pelo feedback! Fico contente que os posts estão sendo úteis para vocês. Quanto às cartilhas, elas são um meio de informar e de se aproximar de um público, sim. Há outras táticas de Marketing de Conteúdo que não são necessariamente online, como revistas e eventos. A grande vantagem de produzir e distribuir conteúdos online é a possibilidade de medir o retorno obtido. Dificilmente com uma cartilha você consegue mensurar o impacto e a conversão. Já com posts no blog, ebooks e outros materiais via web, você tem como saber o resultado, descobrindo quanto cada ação vai converter em suspects, prospects e novos clientes para a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.