Marketing de conteúdo que gera resultados reais para a empresa é aquele que é encarado como um processo de comunicação da empresa com seu público-alvo e como uma forma de externalizar seu conhecimento de maneira adequada e impactante.

Se você ainda está pensando em comprar conteúdo por quilo e publicá-lo em um blog sem ter de gastar seu tempo, achando que a mágica do Inbound acontecerá, é necessário rever esse conceito para só então analisar qual o melhor modelo de equipe para produção de conteúdo.

A análise de equipe deve ser feita por quem quer posicionar a sua empresa como educadora de mercado e como referência, e isso é feito por meio de um processo de qualidade em que a equipe é peça fundamental de investimento e resultado.

Composição de equipe interna, externa ou mista

Não existe uma opção certa ou errada quando se planeja uma equipe para a produção de conteúdo, mas sim uma análise caso a caso avaliando as demandas e os recursos que a empresa possui. Para isso, o primeiro passo é entender o que exatamente forma uma equipe interna, externa ou mista.

Equipe interna de produção de conteúdo

Uma equipe interna destinada à produção de conteúdo pode ter diferentes formatos, porém, o que a caracteriza é que os membros são integrantes da empresa. Alguns clientes da plataforma Contentools utilizam redatores dedicados full time à atividade; outros, optam por envolver seu time já existente na produção de parte dos conteúdos.

Ter profissionais dedicados 100% à função de redação para web gera uma produtividade bem maior no marketing de conteúdo, porém é necessário ter conhecimento técnico das competências da empresa, e não apenas habilidade em redação.

Por isso, a opção mais comum e barata é envolver os times já existentes, como vendas, atendimento ao cliente e marketing na produção. Essas pessoas possuem bom conhecimento técnico da solução, do público-alvo e do posicionamento da empresa, o que viabiliza a produção de um conteúdo de qualidade e aderente às personas da sua estratégia.

Um dilema comum é adicionar uma nova task recorrente na agenda já cheia desses profissionais. Portanto, é importante encarar essa atividade como um investimento de médio a longo prazo em aquisição, retenção ou outro objetivo a que o conteúdo se destina. Uma outra dica é alinhar o escopo de trabalho com toda a empresa para que todos assumam papeis de educadores de mercado. Isso serve tanto para novas contratações quanto para membros mais antigos.

Basicamente, se o seu caso não for de profissionais dedicados 100% a essa atividade, então basta uma conta simples: se temos 4 pessoas escaladas por mês e cada uma produz 1 conteúdo por mês, temos uma frequência mínima de 1 blog post por semana para alimentar sua mídia. Um responsável pelo marketing pode cuidar da escala, lançamento das pautas e controle das entregas. Utilizando uma base de 3 horas para produzir um post de qualidade, teríamos um investimento de 1,8% do salário dessa pessoa em cada conteúdo (base de 40 horas semanais).

Esse é um investimento bem reduzido para um conteúdo de qualidade e alinhado à empresa, sem contar que esse gasto seria realizado de todo jeito, muitas vezes sem estar focado em aquisição de receita ou manutenção de receita, ou seja, sem retorno.

Contentools envolve todos os membros da empresa na produção, e temos duas dicas para quem tem o mesmo objetivo: adicionar indicadores de entrega de conteúdo no OKR ou plano tático das áreas e utilizar um programa de bonificação para as pessoas que mais produzirem, para os posts com maior sucesso e outros indicadores criativos que possam ser pensados.

Mais além neste post, vamos analisar alguns casos onde a produção interna se encaixa melhor.

Equipe externa de produção de conteúdo

Ter uma equipe externa de produção NÃO é a mesma coisa que terceirizar a produção de conteúdo. Terceirizar é passar o processo de produção para outra empresa, e com isso a responsabilidade da comunicação da sua empresa. Você pode pensar que é uma boa, pois não possui um expert em marketing de conteúdo no seu time. Porém, a questão é: existe algum expert sobre a sua empresa e seu negócio na empresa que fará seu conteúdo?

A terceirização costuma gerar um retrabalho muito grande, conteúdo superficial (uma vez um lead me disse que seu conteúdo terceirizado “parecia 2 gotas de groselha em um copo de água”, não dava nem gosto) e pode gerar também um saldo negativo no posicionamento da sua empresa, pois aborda as questões de forma superficial e pouco relevante para o público. Em um momento onde se disputa muito pela atenção dos leitores, conteúdo superficial não é uma boa estratégia.

Agora que está claro o que uma equipe externa não é, vamos entender suas possibilidades de composição.

Uma equipe externa é composta por profissionais que não fazem parte do quadro de contratação da sua empresa, podendo ser freelancers de alguma base externa, freelancers da sua rede de contatos, contatos influentes do seu segmento que você possa convidar para um programa de guest post e até mesmo seus clientes (para produção de materiais que gerem credibilidade de compra).

De toda maneira, com o uso de uma equipe externa, é fundamental ter um responsável interno que controle a estratégia de relacionamento pelo conteúdo. O conhecimento mais valioso é o do seu negócio, e este é que deve ser transmitido no conteúdo divulgado; isso justifica ter o controle e a estratégia internalizados.

Uma dica que passamos para a escolha de freelancers é: tenha em seu time alguém com experiência em seu segmento, habilidade textual para web e storytelling. Mantenha-se próximo ao freelancer para evitar retrabalho, desalinhamento e ao mesmo tempo fornecer uma curva de aprendizado sobre sua empresa para esse profissional de produção de conteúdo.

O custo de um conteúdo no caso da contratação de um freelancer varia muito. Quanto mais especializado no segmento for esse redator, mais caro ele cobrará, e esse é o preço de se ter qualidade e conhecimento aplicado aos conteúdos. Na base da Contentools, todos os profissionais de produção de conteúdo são certificados e atuam em mais de 40 segmentos diferentes. Os valores dependem do segmento, do material e da especialização de cada profissional, mas uma faixa para blog posts vai de R$ 30,00 até R$ 100,00 por redação.

Ainda neste post vamos analisar em quais situações uma equipe externa se apresenta mais vantajosa.

Equipe mista de produção de conteúdo

Uma equipe mista é composta por membros da empresa e profissionais externos ao mesmo tempo. Eles podem ocupar funções diferentes ou participar em conjunto da produção dos conteúdos.

Para ficar mais simples, vou tomar a Contentools como exemplo novamente, já que possuímos uma equipe mista de produção de conteúdo. Todos os membros estão envolvidos no processo e possuem sua meta mensal de produção de conteúdo; porém, é natural que nem todos sejam especialistas em escrita para web, e por isso utilizamos também editores que fazem parte de nossa base certificada, a mesma que nossos clientes utilizam.

Dessa maneira, nós unimos conhecimento técnico de marketing de conteúdo – da nossa solução e empresa como um todo – e conhecimento profundo em escrita para web, SEO e storytelling (adicionado pelos nossos editores). Tudo isso é orquestrado e aprovado pela nossa Content Manager Gabriela Moura, uma peça vital para que cada envolvido possa contribuir apenas com a sua parte e assim o conteúdo ir ganhando qualidade e alinhamento com a nossa estratégia ao longo do processo de produção.

Esse é um modelo de baixo custo (de R$ 15,00 a R$ 50,00 de edição + 1 a 2 horas de dedicação de membros internos) e com os melhores resultados que já obtivemos até hoje com todos os modelos.

É importante entender que não existe um modelo ideal ditado como regra, e sim uma adequação de acordo com algumas variáveis que cada empresa possui em diferentes níveis. Vamos analisá-las na sequência.

Variáveis na produção de conteúdo

Basicamente, quem define qual o modelo ideal para produção de conteúdo é o mercado em que a empresa se posiciona e os recursos internos que ela possui. Vamos entender em cada variável qual o modelo que mais se ajusta.

Complexidade técnica necessária

Começando pela perspectiva de mercado, a primeira pergunta é: qual a complexidade técnica que a sua persona exige em sua jornada de compra?

Se a sua empresa possui uma solução complexa e um processo de venda que envolve riscos e inovações, é importante que o seu conteúdo não seja superficial. Caso contrário, o efeito do conteúdo é negativo no leitor. Lembre-se de que o importante não é receber uma visita no seu blog porque uma palavra-chave está bem otimizada, mas sim fazer com que o leitor supra suas demandas de informação e dê um passo adiante na jornada de compra, que aprenda com sua mídia, que adote o seu conteúdo como referência e fonte de informação de qualidade.

Uma experiência: você, como leitor, lembra-se de entrar em algum blog post e encontrar informações nada relevantes, apenas com um tema interessante? Imagino que sim, e inúmeras vezes. Você se lembra quais eram estes blogs? Imagino eu que não. Por outro lado, lembra-se de algum blog post extremamente prático que lhe fez otimizar algo em seu trabalho, melhorar suas práticas e processos? Lembra-se de alguma fonte assim? Acredito que você a utilize até hoje.

Basicamente é isso: seja sério com seus leitores.

Em um caso de necessidade de conteúdo mais técnico e profundo, o uso da equipe interna é o ideal. Ninguém vai conseguir cumprir essa missão melhor do que as pessoas que vivenciam todos os dias e constroem a solução oferecida pela sua empresa. A opção de equipe mista também é muito válida, desde que o conhecimento técnico seja aplicado por alguém interno.

Se o seu relacionamento com a sua persona não exige nada complexo, então você pode utilizar de equipes externas, desde que sejam profissionais próximos da empresa e com capacidade de absorver a linha editorial da marca. Conteúdo sem personalidade não se diferencia.

Disponibilidade interna

Em muitos casos, as empresas que estão em fase inicial de negócio são extremamente enxutas e não possuem disponibilidade suficiente para se dedicarem às atividades de produção de conteúdo.

A primeira análise a ser feita nesse caso é se a sua empresa já se encontra em uma fase de investir em aquisição de receita ou se ainda está modelando e validando o negócio. Se já for o momento de escalar as vendas, é totalmente razoável investir em alguém interno que possa se dedicar à gestão desse processo e do marketing como um todo.

Ainda assim, se falta disponibilidade, mas é possível gerenciar o processo, o ideal seria um modelo de equipe externa, onde a estratégia da empresa é operacionalizada por um time fixo que trabalha a distância e pagos por job, em outras palavras, freelancers engajados com sua empresa.

Um erro muito comum nesse cenário é a terceirização total sem engajamento mínimo ou estratégico de verdade. Se optarem por investir em marketing de conteúdo, coloquem na conta o engajamento interno para repassar informações estratégicas sobre o posicionamento que a empresa busca.

Uma opção interessante para quem não tem disponibilidade para criar ou gerenciar o conteúdo é a contratação de uma agência digital séria e que tenha experiência em produzir conteúdo para o seu mercado. Ainda assim, o contato será necessário para que as informações e o conhecimento interno sejam aplicados ao conteúdo.

Se a sua empresa tem disponibilidade de pessoas para alocar no processo, experimente! O conteúdo ganha muito mais qualidade quando produzido por quem tem propriedade no assunto. Além disso, isso ajuda no processo de aprendizado dos membros da equipe.

Maturidade no marketing digital

Essa é outra variável que ajuda na escolha do modelo. Se o seu negócio possui maturidade no marketing digital, então é interessante o uso dessa maturidade aplicada também ao conteúdo. A utilização de equipes internas e mistas, nesse caso, garante qualidade,  agilidade no cumprimento da estratégia e obtenção de resultados.

Com um time experiente também se ganha um poder de resposta muito rápido no posicionamento da empresa: é possível testar novos tipos de conteúdo, atender demandas do processo comercial, do processo de atendimento ao cliente e de stakeholders que queiram se relacionar com o conteúdo.

Se a sua empresa não tem maturidade em marketing digital, o primeiro passo é fazer com que esse quadro mude. Uma opção são cursos online a membros da empresa com potencial de assumir essa missão futuramente. Quem não se preocupa com isso dependerá sempre de outra empresa para viabilizar seu posicionamento web, além de não ter poder de fato sobre sua diferenciação perante os concorrentes. Resumindo, dê voz à sua empresa.

Enquanto a maturidade vem sendo trabalhada, recomenda-se utilizar uma equipe externa aliado a consultorias que possam desenvolver a estratégia digital da empresa. Na base de profissionais de conteúdo da Contentools, também existem Content Managers e eles são fundamentais para os primeiros passos acontecerem.

Investimento

A última variável desta análise é o investimento reservado para o marketing de conteúdo. Não estou me referindo apenas a dinheiro, mas também a pessoas.

Se a sua empresa não tem recursos financeiros para isso, mas tem um time competente, é necessário investir os recursos que já existem para geração de mais receita e para isso o uso do time interno é o ideal. Eu recomendo isso também àquelas empresas que possuem orçamento reservado para conteúdo. Além disso, é possível utilizar aditivos que aceleram o processo, como links patrocinados e, quem sabe, uma frequência mais agressiva de postagens.

Se você possui uma rede de contatos influentes e com soluções complementares à sua, invista nessa relação: aproxime-se deles e construa conteúdo em conjunto. Crie um programa de Guest posts, convidando-as para blogarem em sua mídia uma vez por mês, criar backlinks para os seus blogs e trocar audiência qualificada. Seja você também um guest de um blog parceiro. Essa alternativa é brilhante para quem tem orçamento, e vital para quem não tem.

Conclusão

Vale tudo! Depende apenas de como a sua empresa se encontra de acordo com as variáveis apresentadas. Esse diagnóstico vai te ajudar na decisão de como produzir de maneira mais eficiente e coerente ao seu caso.

Encare isso como qualquer investimento em aquisição de receita que você poderia fazer, sabendo que levará de 4 a 6 meses para apresentar um resultado concreto. Recomendo que se orientem sempre pelo ROI do seu marketing de conteúdo.

Por fim, evite qualquer passo precipitado. Marketing de conteúdo é complexo sim, mas pode ficar simples reunindo os recursos tecnológicos e conhecimento necessário. Produzir conteúdo sem estratégia sólida, sem ter pesquisado sua persona e a jornada de compra dela, isso é jogar conteúdo, tempo e dinheiro ao vento. Prepare-se para começar de uma maneira que obtenha retorno o mais rápido possível.

Se esse conteúdo te ajudou a pensar em qual seria o modelo de equipe ideal para sua empresa, você vai adorar conhecer nossa plataforma. Ela possibilita uma automação no processo com todos os modelos apresentados acima e vai muito além! Você pode conferir mais nesta Demo.

Qual o modelo que sua empresa adota hoje em dia? Compartilhe conosco seus resultados.

Previous ArticleNext Article

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.