Se você tem lido esse blog já deve ter notado que a gente adora gosta de lolcats, memes e outros virais que são mania na internet. Assistir a vídeos de Harlem shake ou mannequin challenge pode ser muito divertido, mas os virais merecem mais que uma risadinha, um share ou retweet. A verdade é: o que começou como piada está virando ciência.

Tanto é que um professor de Harvard resolveu decifrar as características de um viral. Ele analisou movimentos dos olhos e expressões faciais de pessoas que são expostas a conteúdos de marcas. Vamos ver, então, como usar essas descobertas para viralizar o conteúdo nosso de cada dia?

Deixe que os outros falem de você

A gente sabe que sua empresa é o máximo. 🙂 Mas quem está conhecendo vocês pela primeira vez quer fazer amizade aos poucos, saber primeiro o que têm em comum, do que vocês gostam, o que costumam ler e fazer nas horas vagas. É o que a pesquisa de Harvard confirmou: o público é repelido por imagens com excessivas logomarcas e tentativas óbvias de persuasão.

Ok, ninguém gosta de discurso padrão de vendedor profissional. Nada novo aí. Mas o estudo serve de importante lembrete para quem lida com marketing de conteúdo e precisa abraçar esse paradoxo: na web o engajamento é um prêmio e não é dado a quem tem mais força, mas é resultado de influência sutil de conexões autênticas feitas ao longo do tempo.

Surpreenda o público

A pesquisa também mostra que na estrutura dos virais, a narrativa segue um padrão inverso ao tradicional. Enquanto nas histórias persuasivas o elemento-surpresa é revelado ao final do arco narrativo, no caso do viral a expectativa do público com tempo de atenção curtíssimo exige que a surpresa seja revelada nos primeiros segundos.

Ou seja, sem delongas. Entregue o que você propôs no título e faça-o de uma forma surpreendente. Que tal dar uma olhada no Google Trends para relacionar o seu conteúdo com algo que as pessoas estejam buscando agora?

Use o humor – com equilíbrio

Outra característica forte dos virais é que eles induzem a alegria, muitas vezes através do humor. Como consumidores de conteúdo, nós entendemos isso intuitivamente. O que talvez seja menos óbvio é que essa alegria é perfeitamente dispensada em pequenas doses, mais como uma corrente alternada. Parece que um fluxo ininterrupto de risadas seria mais alegria do que poderíamos suportar. Quando você interrompe a graça, os leitores percebem que querem mais.

Facilite para viralizar

Além disso, é sempre bom facilitar. Vídeos, imagens e infográficos são mais fáceis de interpretar e acabam sendo mais compartilhados. Plugins e botões que permitem que seus posts sejam distribuídos nas redes sociais são muito bem-vindos também.

Esqueça “todo mundo”

Quem é o público dos virais? Quem é o seu público? Conhecer seus clientes, leitores e seguidores a fundo vai ajudar a tornar o conteúdo que você produz mais atraente para essas pessoas.

São mais homens ou mulheres? O que os faz rir? O que os deixa bravos? Quem são seus ídolos? O que fazem nas horas vagas? São perguntas que podem parecer bobas, mas que ajudarão a delimitar quem é sua audiência e a dar o tom certo para seu conteúdo. Assim como virais não são para “todo mundo”, seu blog também não é.

 

Gostou das nossas dicas? Conte para nós nos comentários o que você gostaria de ler aqui no blog!

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.