A Contentools agora é GrowthHackers Workflow.
Veja mais: https://growthhackers.com/workflow

Growth Hackers

A ascensão das mídias sociais fez com que as marcas compreendessem e abraçassem a causa do Marketing de Conteúdo. A cada dia que passa as empresas entendem que não devem ter apenas um papel de anunciante, mas sim um papel de criador de conteúdo. Por meio de blogs, podcasts, vídeos e outras formas é preciso mostrar a sua perspectiva e proposta de valor para os clientes.

Contudo, mesmo tendo abraçado o Marketing de Conteúdo, há ainda uma nova tendência que continua fora do círculo – e vale a pena ser levada em consideração: o jornalismo de dados, o Big Data. Essa prática é quente, pois jornais como The Guardian e The New York Times têm investido bastante em jornalismo de dados a fim de descobrir novos insights e contar boas histórias para atrair a mídia social. De que maneira? Com novos dados e infográficos espalhados pelas grandes plataformas como o Twitter e Facebook, contando histórias com base em uma análise minuciosa, transformando esses dados em algo conciso, persuasivo e atraente em termos visuais.

O fato é que não há escassez de dados no marketing B2B, muito pelo contrário. Há uma quantidade tão grande de dados que é difícil saber o que fazer com tanta informação. O segredo está na triagem e na maneira como eles podem ser utilizados para se conectar com o público-alvo. Essa maneira precisa ser criativa e inovadora.

Pesquisas estimam que apenas 12% dos dados são aproveitados, ou seja, 88% das informações estão disponíveis lá fora para serem transformadas em conteúdo valioso. Como utilizar esses dados de uma maneira totalmente diferente? Com Marketing de Conteúdo.

Segundo a Harvard Business Review, o storytelling baseado em data-driven (Big Data) será a próxima grande tendência do Marketing de Conteúdo. É hora de aproveitar a disponibilidade cada vez maior de dados para realizar uma análise concreta e descobrir novas maneiras de contas histórias. Neste sentido, no post de hoje iremos elencar 3 maneiras de utilizar os dados para melhorar a performance do seu Marketing de Conteúdo. Vamos lá?

O que é o Big Data?

Basicamente, o termo Big Data refere-se à enorme quantidade de dados que estão sendo criados a cada minuto. Estima-se que o termo Big Data acumula cerca de 1,64 bilhão de resultados de pesquisa, e essa contagem só aumenta. Isso porque, segundo a IBM, estamos criando 2,5 quintilhões de bytes de dados a cada dia. Uma quantidade generosa, não é mesmo?

Mas como realmente utilizar o Big Data em sua estratégia de conteúdo? Bom, esses dados são de fato provenientes de seus clientes e prospects e também chegam até eles a uma velocidade incrível. Neste sentido, esses dados – ainda brutos – podem levar a insights sobre tipos de conteúdos que podem ser mais atraentes para sua audiência.

Por que utilizar o Big Data para melhorar a performance do seu Marketing de Conteúdo?

Não há fórmula mágica para criação de conteúdo. Nenhum aplicativo ou ferramenta pode garantir que o seu conteúdo terá o tom certo para encantar o seu cliente. Nesse cenário de incertezas, as marcas precisam de profissionais de conteúdo talentosos que consigam criar materiais de alta qualidade.

Apesar de não conseguirmos prever qual conteúdo será mais convincente, já temos ferramentas que mensuram a eficiência do conteúdo, medindo se ele irá atingir o público-alvo certo. O Facebook, por exemplo, está trabalhando em uma ferramenta que auxiliará a recolher o conteúdo que será mais eficaz na condução do ROI, de maneira que os anunciantes consigam planejar melhor suas campanhas e retornos com os gastos em publicidade.

Que o conteúdo é rei todo mundo já sabe, o que é necessário agora são maneiras de criar e gerir conteúdos que engajam de novas maneiras. Por esse motivo, faz-se necessário profissionais que possam interpretar e agir com base nesses dados. Mas por que realmente utilizar o Big Data para melhorar a performance do seu Marketing de Conteúdo?

Podemos dizer que o conteúdo e o Big Data se relacionam em duas grandes frentes: a gestão do conteúdo em si e a gestão de informação inteligente. A gestão de conteúdo relaciona-se com o Marketing de Conteúdo e a gestão de informação com a otimização da experiência do usuário de forma a utilizar os dados de maneira mais engajadora, com informações úteis e conteúdo de alta qualidade.

Mas qual é exatamente a conexão do Big Data com o gerenciamento e o Marketing de Conteúdo como um todo? Vamos esclarecer: o Big Data terá impacto sobre tudo, pois ele afeta a informação de um jeito inimaginável, atingindo, portanto, as imagens e o gerenciamento dessas informações – o conteúdo. Essa explosão de dados, portanto, torna-se uma oportunidade de negócio e uma proposta de valor para o cliente.

A análise dos dados possibilita fornecer a informação no “perfect timing”, com personalização e otimização para o cliente, fornecendo uma experiência única. Uma interação com o conteúdo que contribui para a geração de ainda mais dados, pode ser muito importante para os mais diversos objetivos em termos de marketing e do core business como um todo.

Como utilizar Dados (Big Data) para melhorar a performance do seu marketing de conteúdo?

Antes de tudo, tenha em mente o que é importante. Não adianta querer fazer a mineração de dados de cada pedacinho de informação que encontrar, é preciso ter foco e saber o que pode te ajudar na estratégia de conteúdo. Isso também ajuda para quem não tem uma equipe muito grande disponível para fazer a análise dos dados em mãos. Além disso, pense quais as fontes que você deseja minerar. Não é preciso analisar tudo para conseguir gerar valor para seu cliente, por isso tenha foco na sua estratégia de conteúdo.

Dito isso, veja como incorporar o Big Data em três diferentes tipos de objetivos de Marketing de Conteúdo a seguir:

1. Conscientizar o público-alvo

Se o seu objetivo é conscientizar seu público-alvo, é possível controlar e monitorar o progresso de certas métricas a fim de minerar os dados provenientes dessas fontes para trabalhar em insights valiosos para sua estratégia. Segundo o Content Marketing Institute, são elas:

  • Tráfego do website
  • Busca pela marca nos motoros
  • Número de seguidores nas mídias sociais
  • Ações de mídias sociais
  • Menções nas mídias sociais
  • Número de influenciadores
  • Número de backlinks que você recebe a partir do seu conteúdo
  • Fontes do tráfego
  • Visibilidade global

Dessa maneira, você pode analisar o comportamento do seu público-alvo, o que eles andam falando sobre sua marca e como está o engajamento do seu conteúdo. Isso pode ser feito através do Google Analytics ou Google Alerts, por exemplo. É recomendável a criação de relatórios mensais ou trimestrais, dependendo da quantidade de dados gerados. Mas por que analisar esses dados? Pois, com base neles, você conseguirá detectar tendências entre o seu público-alvo, que te auxiliará a criar um conteúdo educacional mais assertivo.

O conteúdo educacional é o responsável pela conscientização dos seus futuros clientes e trabalhar em cima do que é tendência é uma ótima opção.

2. Converter clientes

O Marketing de Conteúdo também tem o objetivo de realizar a conversão de clientes ao longo da jornada de compra. Para isso, é importante utilizar o Big Data para mapear e medir quanto tempo os seus clientes potenciais ficam em um determinado estágio de compra, assim como que tipo de conteúdo eles estão consumindo ou abandonando. É importante controlar também quais os conteúdos com melhor desempenho – maior número de downloads, por exemplo –, além de taxas de aberturas e cliques de determinados formatos de conteúdo.

Com isso, você descobre onde sua estratégia de conteúdo está tendo resultados e onde está pecando e precisa de melhorias. Para esse tipo de análise, é importante ter uma ferramenta de automação de marketing ou de e-mail marketing.

Se você realizar a análise desses dados, conseguirá encontrar ideias com conversão comprovada, entregando valor, relevância e clareza para sua audiência, que é o objetivo do Marketing de Conteúdo, para início de conversa.

3. Reter clientes

Você já possui conteúdo educacional e também já fez a mineração de dados, documentando sua estratégia de conteúdo, obtendo ideias com conversão comprovada. Agora é hora de reter os clientes convertidos, não é mesmo?

O Marketing de Conteúdo também pode ser utilizado para retenção de clientes, com o objetivo de criar assinantes fieis e até mesmo evangelizadores. Se esse é o objetivo, você precisa utilizar sua mineração de dados para analisar métricas, como número de assinantes, taxa de cliques, tempo médio no site e a satisfação do cliente como um todo. Isso também pode te ajudar em estratégias de cross-sell e upsell.

Quando falamos em retenção de clientes, é preciso compreender por que seus clientes atuais podem estar escapando por entre seus dedos. E é aqui que entra o Big Data. Uma opção é fazer pesquisas com clientes que pedem o cancelamento. Mas, se você quer se adiantar, pode melhorar a experiência do usuário, o atendimento e o relacionamento. Mas como realizar essas melhorias? Analisando os dados e fazendo uma mineração assertiva com as métricas que mencionamos anteriormente.
Este post foi útil para você? Deseja saber mais sobre como melhorar a performance de seu conteúdo? Os especialistas da Contentools podem te auxiliar a alavancar a estratégia de conteúdo da sua marca com uma base de profissionais de conteúdo de alta qualidade e com a Plataforma da Contentools para gerenciamento do conteúdo!

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.