Este artigo foi escrito por Diego Cordovez, sócio e co-fundador da Viddheo.

O Brasil acordou para o Marketing de Conteúdo há algum tempo, e isso não é mais segredo. A competição vem aumentando cada dia mais e para os especialistas nosso mercado é muito parecido com o norte-americano de alguns anos atrás. Portanto, ainda temos oportunidade de MUITO menos competição pelos termos desejados do que nos EUA.

Aproveitamos esse fato e fizemos o artigo para que você entenda como encontrar o DNA, a marca d’água do seu Marketing de Conteúdo e destaque sua marca das outras. A profundidade do conteúdo e a forma como ele é apresentado são igualmente importantes. Sua identidade está em tudo: no tamanho e complexidade do post, na linguagem utilizada, e nos outros recursos como gráficos, vídeos, etc. Separamos duas dicas relacionadas ao conteúdo em si e outras duas relacionadas à forma de postagem.

Vamos aos detalhes…

DICAS DE CONTEÚDO

1) Pesquise, estude e interprete os 30 primeiros resultados do Google…

O estudo prévio sobre o assunto é vital para que você mantenha seu post alinhado com as tendências do tema. Mesmo que você seja especialista no seu mercado, esquadrinhe as 30 primeiras ocorrências do Google para o termo em que está escrevendo: isso te dará a noção exata do que o mercado ainda não abordou, e esse é o pote de ouro.

Outra dica importante:

pesquise em inglês a palavra-chave ou o tema em que está postando, e descubra qual é a abordagem dos blogs e portais gringos sobre o assunto em questão. A geração de conteúdo está muito adiantada nos EUA e Europa e, se sua empresa fizer posts comparáveis aos melhores internacionais, seu Marketing de Conteúdo refletirá os resultados por si só.

2)… mas dê o SEU ponto de vista

O estudo sobre o assunto é um barco que não te leva muito além da margem se você apenas reproduzir as informações que encontrou. Como você é especialista em seu mercado, “traduza” o contexto e as dicas para a sua realidade, e claro, imprima sua opinião sobre o assunto. Aproveite também os exemplos onde sua empresa domina o assunto e coloque-os no post. Você atua em seu mercado, conhece a realidade dos clientes e enfrenta os mesmos desafios. Portanto, não há espaço para medos: desça do muro e posicione-se.

Exemplo prático:

Vamos supor que sua empresa opta por posts educacionais, com mais de 1500 palavras, abordando o assunto com profundidade. Há contra-argumentos que este tipo de post leva muito tempo para ser elaborado, consome recursos de Marketing e geralmente são lidos até a metade.

Se você acredita que seus clientes vivem desafios complexos e semelhantes aos seus, sua única saída ser fiel à linha de raciocínio e abordar os assuntos com profundidade, mesmo que levem 4 ou 5 horas para serem escritos. Se você conhece seus leitores e sabe que posts mais curtos agradam atenha-se a posts menores, com até 800 palavras e com dicas de rápida implementação.

DICAS DE FORMA

3) Expresse seu raciocínio com imagens e gráficos

O principal benefício de usar seus próprios gráficos é expor suas ideias de forma autêntica e inusitada, diferente de tudo o que o mercado já experimentou.

Exemplo prático:

Escrevemos no blog da Viddheo um post sobre Churn (taxa de rejeição). Num determinado ponto explicamos o ponto crítico de uso de um software (em horas), e os momentos onde a probabilidade de um cliente abandonar sua empresa é alta. Não há melhor forma de expressar todo o raciocínio sem um gráfico (mostrado abaixo). Perceba que uma vez que a relação é fruto da reflexão da equipe, o gráfico leva nossa “genética” ao post.

Dicas de conteúdo

4) Linguagem única e coerente!

Esse é o momento de você retomar as buyer personas do seu blog e lembrar de todas as características dos grupos que estão lá. Não basta simplesmente ser fiel ao público e adequar a linguagem a ele; você precisa de uma marca, algo que te diferencie RADICALMENTE dos demais.

Levamos esse assunto a níveis extremos na Viddheo. A maior parte dos usuários que encontra o blog da empresa é de uma persona jovem. Portanto a linguagem dos posts é descontraída: gírias e expressões do inglês, sarcasmo, personagens de filmes e séries, palavrões censurados com #*/, vídeos de música eletrônica, citações de letras… A lista é grande e os riscos também! Enquanto houverem feedbacks positivos mantenha-se ao plano e encontre seu DNA.

Resumindo

Encontre uma forma única de escrever e seja coerente a ela ao longo do tempo. Use todos os recursos da internet para ser muito diferente dos demais e leve essa escrita a outros blogs, permitindo que mais pessoas conheçam sua marca e suas ideias. Os clientes e o dinheiro virão até você, não se preocupe.

Gostou das dicas? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário! Aproveite e baixe nosso ebook:
Buyer personas: o conteúdo certo para o público certo! Baixar agora.

Como criar buyer personas

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.