Recentemente, publicamos aqui no blog um artigo falando sobre o novo posicionamento da Contentools, sobre o início dessa nova jornada da empresa – mais focada em automação do marketing de conteúdoe sobre os planos para o futuro. Mas é importante também compartilhar nossa história e como chegamos até aqui. Por isso, conversamos com a CEO da Contentools, Emília Chagas, para relembrar um pouco nosso trajeto rumo ao sucesso

Por dentro da Contentools

Qual foi a sua motivação para criar a empresa?

Foi um misto de motivações, guiadas por uma oportunidade de mercado. Eu trabalhava com marketing de conteúdo e comecei a perceber que os problemas que as empresas com as quais eu trabalhava eram os mesmos de outras empresas. Ao mesmo tempo, eu também tinha um anseio de construir algo e de contribuir de outra forma, para além do conteúdo.

Apesar de ter bastante conhecimento sobre o mercado de marketing de conteúdo, eu não tinha experiência com validação de negócios no formato lean. Então eu procurei um grupo de empreendedores envolvidos na aceleração de startups. Eu precisava de expertise de outras pessoas que já tivessem tido sucesso ou mesmo que já tivessem falhado para que eu não cometesse as mesma falhas e para que eu pudesse aprender por analogia.

Quando você começou a trabalhar neste projeto?

Foi em 2012 que a gente começou a dar os primeiros passos. A ideia inicial era ter um sistema que resolveria todos os problemas de conteúdo que as empresas tivessem. Essa é uma ilusão que muitos empreendedores iniciantes têm. Um dos primeiros aprendizados que tive foi que eu precisava focar, escolher uma vertente e seguir nela. Então, eu apresentei a ideia para esse grupo de empreendedores e eles toparam me ajudar na validação dela.

Fizemos toda a validação seguindo a metodologia do Business Model Canvas e de todas as práticas que são descritas naquele famoso livro Lean StartUp, de Eric Ries. Desde o início a gente já estava oferecendo o produto para poder aprender rapidamente com os clientes. Depois disso, fizemos  também um Minimal Viable Product. Então, tínhamos um concierge MVP para entregar rapidamente e para entender os processos que depois seriam automatizados com a plataforma. Esse foi o início da jornada.

Quem mais fez parte do início da Contentools?

No início, eu tinha ajuda desses mentores, que até hoje contribuem. O Elton, por exemplo, que é co-fundador, começou como mentor. Depois que a ideia estava validada e que estava no momento de obter um Product Manager full-time é que ele entrou na operação da empresa.

Qual o propósito da Contentools?

O propósito da Contentools é oferecer uma solução de gestão de conteúdo online para os heróis do marketing! São profissionais que trabalham em empresas de médio porte, têm muitos desafios, um time pequeno e metas a entregar. Eles muitas vezes são consumidos pelas tarefas operacionais e têm pouco tempo para serem criativos e produzir conteúdo apaixonante, que traga os resultados esperados. A plataforma Contentools vem para automatizar processos repetitivos, ajudá-los na organização e na inteligência por trás da gestão do conteúdo online.

Em toda essa trajetória o que você faria diferente? Quais erros você acha que cometeu?

É difícil responder essa pergunta porque tudo que poderia ser considerado falha foi o que nos trouxe até aqui. São as pequenas falhas que nos levam ao aprendizado. Então, é difícil dizer que teria pulado alguma etapa, porque então a gente não estaria onde está hoje.

Por exemplo, a gente optou pelo bootstrapping. Nós podíamos ter ido atrás de investimento no início, estamos fazendo isso só agora. Eu não vejo isso como uma falha, porque se tivéssemos investimento alto no início talvez não seríamos tão bons em mudar rápido, em crescer rápido, em ser lean e ter uma operação super enxuta. Caso a gente tivesse mudado alguma coisa lá no passado talvez fôssemos hoje uma empresa diferente, e eu gosto da estrutura que a gente tem hoje. Acho que a gente aprendeu muito desse jeito.

E hoje, o que você acha que a Contentools tem que mudar para o futuro?

Acho que ainda temos muito para aprender e muito para crescer como empresa. Nós acertamos muito no passado, ao optar, por exemplo, por metodologias gestão, como os OKRs, que uniu o time em busca dos mesmos objetivos. Temos essa atenção com a cultura organizacional, um ambiente descontraído, pessoas bacanas e que têm um propósito semelhante entre si, que querem fazer a diferença no mundo.

O que você mais valoriza na Contentools?

O nosso time. É engraçado, porque quando eu comecei eu não imaginava o tamanho da importância. Eu imaginava o time como mais um elemento, e hoje eu vejo que ele é o diferencial. Nós somos uma empresa de tecnologia, nós somos pessoas que estão criando um projeto, um sistema, um produto, uma plataforma. Somos pessoas melhorando a vida de outras pessoas. O time de alta performance que nós montamos é o que faz toda a diferença.

O que mudou do início da Contentools até hoje?

Mudou tudo! Algumas vezes temos medo de mudar alguns aspectos de um projeto, seja a proposta de valor, seja o modelo de receita. Uma palavra que é, às vezes, temida: o tal do pivot. “Ah, pivotar é algo muito complicado”. Eu vejo que estamos mudando sempre e essas pequenas mudanças não vêm à toa. Elas vêm de um aprendizado constante, de uma vontade de entregar cada vez mais e melhor, de ouvir muito as demandas do mercado, as demandas dos clientes. Então, o produto que a gente entrega mudou muito e a forma como a gente entrega também.

Um exemplo mais completo é a própria plataforma: o nosso software veio para ser um meio de entregar conteúdo e era atrelado a um network, a uma rede de profissionais. Recentemente, nós desacoplamos o software dessa rede por ver que a demanda dentro das empresas dos nossos clientes era por mais features ligadas a melhoria de processos. Essa é uma pequena mudança, mas que representa muito. Estamos mudando o produto de acordo com o bom e velho customer development. Nesse processo, não paramos de aprender.

Por fim, como você imagina a Contentools daqui um ano?

Nós percebemos que o produto que a gente desenvolveu não tem barreiras geográficas. Estamos num momento de explorar esses novos ares, essas novas oportunidades que vêm se apresentando. Então, daqui a um ano eu espero ver bandeirinhas da Contentools em outros lugares do mundo. São essas sementinhas que estamos plantando agora.

Emília Chagas é jornalista, empreendedora, co-fundadora e CEO da Contentools.

 

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.